Do amor, quando basta?

Padrão
Do amor, quando basta?

Do amor, quando basta ?

   Nem toda a relação termina com uma traição. Quando existe amor, a relação pode ser reconstruída. Procure tentar perceber se a sua pode ser reconstruída.

     E aquilo nem foi nada, nada intencional… talvez uma birra demasiada “infantil” … talvez a falta que fez implorar tanto para que lhe desse mais atenção…. manifestasse aquele desejo de publicar o amor , assumir finalmente o amor…. a convivência, mas não…. ele apenas cobrava, avisava, acho, de acordo com o que me narrou a moça,  que nem ciúmes era, mas um zelo por sua imagem publica, um zelo pelo orgulho, ego envaidecido….. enfim, não foi por ciúmes….. isso ela sabia bem, mas…. o que abstraiu de uma conversa, foi o bastante para se sentir traído. Porém, não assumir a relação, deixar “brechas” para ser desejado, não configura também traição ? Cobrar todas as explicações do outro… o q comeu, que horas saiu, com quem esteve, quanto gastou, e entretanto fazer compras pra si, e para seus familiares e ainda “esconder” certas peças….. com desculpas estapafúrdias … não configura traição?

O pior, disse-me, foi vê-lo sofrer, e de fato sofreu, não sei se por ela, mas por si mesmo. Por notar que nem todo controle possuímos, que para uma relação dar certo não se trata de dar “explicações” feito que cada um deve ter sua individualidade preservada e respeitada, mas deve-se partilhar com o outro o que se cobra tanto dele. Resta-lhe a culpa, restou para ela o aniquilamento, a dor, o desajuste, a ausência do que teve como felicidade numa rotina de entrega e aprendizagem de finalmente amar alguém.

             Talvez algum batom rosa o deixe mais feliz….. talvez algum dia ele saia da chuva, pois nota a moça que de fato sofreu. Triste, não foi por ela, o que de certa forma a absolve da culpa. Ela não o fez sofrer. Ela reagiu de forma errada e imatura a uma relação que já estava mergulhada na imaturidade e na desconfiança. Alguns não suportam perder o controle….. preferem perder a pessoa…. o amor que lhe foi entregue ….. de nada valeu e não vale, então ela me pergunta : “ amar vale o que ?” …

Se amar é dar o que eu não se tem, a quem não pode possuir … Sempre iremos amar novamente …. são outras travessias, ainda que os protagonistas permaneçam os mesmos, mas seria preciso ambos estarem “dispostos”
E isso é só o fim …

Sei la…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s